Accessibility links

Breaking News

A díficil situação na Somália


Mulheres que fugiram devido à seca receberm alimentos num campo de deslocados nos arredores de Mogadíscio

Está a desenvolver-se uma situação humanitária terrível na Somália. Em grande parte devido aos padrões climáticos quentes de La Niña, grande parte do país está a passar por condições de seca que se manterão ao longo de 2021. De acordo com a Rede de Sistemas de Alerta Precoce de Fome financiada pela USAID, ou FEWS NET, a organização líder no domínio da previsão e resposta à fome, as colheitas de cereais nas regiões da Somália afectadas pela seca serão 30 a 40 por cento inferiores aos níveis médios.

Ao mesmo tempo, as inundações localizadas em algumas áreas da Somália estão a contribuir para o problema, tal como a actividade do grupo terrorista Al-Shabaab. Os impactos combinados da seca, inundações, que são mais frequentes e mais graves devido à crise climática, juntamente com a violência, a pandemia COVID-19, e as recentes vagas de infestação de gafanhotos, agravaram a situação, resultando numa crise humanitária. Actualmente, de uma população de 12,3 milhões, cerca de 5,9 milhões de somalis necessitam de assistência humanitária e um quinto da população, 2,8 milhões de pessoas, enfrenta uma insegurança alimentar aguda até Setembro.

Para ajudar a aliviar a crise, os Estados Unidos, trabalhando através da Agência Americana para o Desenvolvimento Internacional e do Departamento de Estado, estão a fornecer quase 199 milhões de dólares em ajuda humanitária adicional ao povo da Somália.

“Esta assistência ajudará muitas das quase seis milhões de pessoas da Somália que necessitam de ajuda humanitária, incluindo alguns dos quase três milhões de pessoas deslocadas dentro da Somália, bem como cerca de 500.000 refugiados somalis no Djibuti, Etiópia e Quénia", disse o porta-voz do Departamento de Estado, Ned Price, numa declaração escrita. "Este novo financiamento irá fornecer ajuda alimentar e nutricional de emergência, água potável segura, saneamento e higiene, abrigo, protecção, educação e cuidados de saúde, bem como logística e outros apoios, face ao agravamento dos desafios ambientais, humanitários e relacionados com conflitos.

“Os Estados Unidos são o maior doador individual de ajuda humanitária na Somália e para os refugiados somalis na região, e saudamos os esforços da ONU para chamar a atenção para a difícil situação do povo da Somália. Continuamos preocupados com o aumento contínuo das necessidades humanitárias, e exortamos outros doadores a contribuírem para a resposta internacional e a fornecerem o apoio necessário para salvar vidas".

XS
SM
MD
LG