Accessibility links

Breaking News

Restriçōes de visto para opressores na Bielorrússia


Jornalistas Katsiaryna Andreyeva (dir) e Daria Chultsova durante o seu julgamento em Minsk, Bielorrússia (18 Fev. 2021)

O Departamento de Estado impôs restrições de visto a mais 43 indivíduos responsáveis por minar a democracia bielorrussa, tornando-os geralmente inelegíveis para entrada nos Estados Unidos. Esses indivíduos incluem altos funcionários do sector de justiça, policias que detiveram e abusaram de manifestantes pacíficos, juízes e promotores envolvidos na condenação de manifestantes pacíficos e jornalistas à prisão e administradores académicos que ameaçaram estudantes por participarem em protestos pacíficos.

O secretário de Estado Antony Blinken disse que os Estados Unidos "continuam alarmados com a repressão violenta contínua do regime de [Alyaksandr] Lukashenko contra manifestantes pacíficos, activistas pró-democracia e jornalistas". Outras ações preocupantes incluem os recentes ataques à organização de direitos humanos Vyasna, a Associação de Jornalistas da Bielorrússia e trabalhadores sindicais independentes. Além disso, a 18 de Fevereiro, um juiz bielorrusso considerou as jornalistas Katsiaryna Andreyeva e Darya Chultsova culpados de "organizar eventos públicos com o objectivo de perturbar a ordem civil". Na sua declaração final no tribunal, Andreyeva e Chultsova rejeitaram as acusações contra eles, como sendo politicamente motivadas.

Em duas séries anteriores de designações, os EUA impuseram restrições de visto a 66 indivíduos que foram considerados responsáveis por minar a democracia na Bielorússia. Esses indivíduos incluíam altos funcionários do regime de Lukashenko, bem como cidadãos russos e bielorrussos cúmplices em impedir o trabalho da mídia independente e, de outra forma, minar a integridade da liberdade da mídia na Bielorrússia. No total, 109 indivíduos foram designados para restrições de visto.

Mais de dezenas de milhares de bielorrussos foram para as ruas imediatamente após a fraudulenta eleição presidencial de 9 de Agosto, e desde então manifestantes pacíficos têm-se reunido. Os manifestantes exigem que Lukashenko deixe o cargo e novas eleições sejam realizadas, mas até agora ele mostra-se desafiador. Responsáveis de segurança prenderam dezenas de milhares e expulsaram à força, detiveram e ameaçaram figuras importantes da oposição. Vários manifestantes foram mortos na violência e, de acordo com organizações de defesa dos direitos humanos, há evidências confiáveis de tortura sendo usada contra detidos.

Os Estados Unidos continuam a apoiar os esforços internacionais para investigar de forma independente as irregularidades eleitorais na Bielorússia, os abusos dos direitos humanos em torno da eleição e a repressão que se seguiu, declarou o secretário Blinken. “Estamos ao lado do bravo povo da Bielo-Rússia e apoiamos seu direito a eleições livres e justas.

XS
SM
MD
LG