Accessibility links

Breaking News

Dia Mundial de Luta contra a Sida


Laço vermelho assinalando o Dia Mundial de Luta contra a SIDA no pórtico Norte da Casa Branca (1 Dezembro 2020, REUTERS/Jonathan Ernst)

O dia 1 dezembro é assinalado como Dia Mundial de Luta Contra a SIDA, uma data para aumentar a consciencialização sobre essa pandemia e também lembrar aqueles que morreram devido à doença. O tema deste ano é “Acabar com a pandemia do HIV/SIDA: Resiliência e Impacto”.

A publicidade gerada pela celebração anual do Dia Mundial de Luta contra a SIDA e as Metas de Desenvolvimento do Milénio estabelecidas pelas Nações Unidas em 2000, contribuíram para uma maior consciencialização e acção global em torno da necessidade de se expandir o tratamento do HIV aos que dele precisam. Em 2003, a administração do Presidente George W. Bush estabeleceu o Plano de Emergência do Presidente dos Estados Unidos para o Alívio da SIDA (PEPFAR, na sigla em inglês) - o maior compromisso de um país a nível mundial para combater uma única doença - que desde então tem um forte apoio bipartidário.

Cerca de 38 milhões de pessoas vivem com a SIDA hoje, dos quais 68 por cento dos adultos recebiam terapia anti-retroviral até junho de 2020. Apesar desses números aparentemente alarmantes porque volumosos, o ONUSIDA observa que as mortes relacionadas à SIDA foram reduzidas em 60 por cento desde o pico da pandemia em 2004 e as novas infecções diminuíram em 40 por cento desde 1997.

Muito desse sucesso pode ser atribuído ao Governo dos EUA através do PEPFAR. Ao longo de quase 18 anos, desde o seu início, o PEPFAR salvou 20 milhões de vidas e evitou milhões de infecções por HIV. Presente em mais de 50 países, o PEPFAR contribuiu para criar ordem no caos ao ajudar os países parceiros a assumirem o controlo das suas epidemias de HIV/SIDA.

Até 30 de setembro deste ano, o PEPFAR apoiou o tratamento anti-retroviral a 17 milhões e 200 mil pessoas, permitiu que dois milhões e 800 mil bebés nascessem livres do HIV, embora as mães estivessem infectadas, e disponibilizou cuidados de saúde importantes e apoio a 6,7 milhões de órfãos e crianças vulneráveis.

Este ano, a pandemia da Covid-19 coloca desafios especiais à resposta global contra HIV/SIDA. No entanto, os países parceiros conseguiram melhorar as instalações, laboratórios e cadeias de abastecimento apoiadas pelo PEPFAR para fortalecer a sua resposta à Covid-19 e evitar atrasos ou retrocessos no seu combate ao HIV/SIDA.

“A liderança americana na resposta global ao HIV/SIDA é clara e forte, como sempre, através do Plano de Emergência do Presidente para o Alívio da SIDA”, disse o Presidente Donald Trump, quem concluiu: “Esses esforços ... permitiram que a pandemia de HIV/SIDA saísse da crise para o controlo de comunidade a comunidade”.

XS
SM
MD
LG