Accessibility links

Breaking News

Mais ajuda para salvar vidas na Venezuela


Linda Thomas-Greenfield, embaixadora dos EUA nas Nações Unidas

A embaixadora dos Estados Unidos na ONU, Linda Thomas-Greenfield, anunciou um montante de quase 407 milhões de dólares para assistência humanitária aos venezuelanos que sofrem como resultado da crise económica causada pelo regime de Maduro e seus apoiantes, que paralisou a economia do país, levou milhões dos seus cidadãos a fugiram do país e deixou milhões de pessoas à mercê da assistência humanitária.

Ela fez o anúncio em meados de Junho, durante a Conferência Internacional de Doadores em Solidariedade aos Refugiados e Migrantes da Venezuela.

Durante a segunda metade do século XX, a Venezuela rica em petróleo foi um dos países mais ricos da América Latina, com uma das economias mais fortes da região.

Mas ao longo da última década, devido à má gestão e corrupção do regime de Nicolás Maduro, a Venezuela entrou numa espiral de crises económicas. Hoje, um em cada três venezuelanos sofre de insegurança alimentar, o sistema de saúde está à beira do colapso e não há fim à vista para o sofrimento humanitário do povo venezuelano. Portanto, os venezuelanos fugiram do país em massa. Desde 2015, mais de 5,6 milhões de uma população de cerca de 30 milhões fugiram do país.

Os recursos recém-anunciados ajudarão a apoiar os venezuelanos que fugiram para 17 países da América Latina, bem como as comunidades que os acolhem. Também ajudarão os sete milhões de venezuelanos que vivem no país e precisam desesperadamente de ajuda.

“Este novo financiamento proporcionará ao povo venezuelano uma ampla gama de assistência vital e essencial, como alimentação, saúde, água potável, abrigo de emergência, acesso a serviços jurídicos e de proteção e oportunidades de subsistência”, disse a embaixadora Thomas-Greenfield.

O financiamento fornecerá também protecção a grupos vulneráveis, incluindo mulheres, jovens, LGBTQI+ e povos indígenas, e assistência especializada durante a pandemia da Covid-19.

“Hoje, reafirmo o compromisso dos Estados Unidos em ajudar a Venezuela, os refugiados e migrantes, as comunidades que os acolhem e os mais vulneráveis ainda na Venezuela que enfrentam uma crise humanitária cada vez mais complexa. Também reafirmo o nosso compromisso de enfrentar a crise através de uma solução pacífica e política”, disse a embaixadora Thomas-Greenfield, que concluiu: “Os Estados Unidos permanecem firmes no seu apoio ao povo venezuelano pela sua luta pela restauração da democracia e do Estado de Direito”.

XS
SM
MD
LG